Werewolf W20

Sessão 20 13/11/2014 Guilherme (mestre)/Aristides/Bruno

Após conversarem com Richard, no acampamento, vocês foram explorar um pouco as imediações. Ryan tentou sentir a Wyrm, mas o local (ou aquele tempo) pareciam estar completamente intocados por sua presença, algo em estado tão ou mais primal do que o que perceberam quando vocês viajaram àquele tempo pré-Impergium. Kevin, no entanto, notava que as forças da Weaver eram muito fortes ali, não tanto quanto no Cyber-realm, mas muito mais fortes do que percebera anteriormente. Vocês visitaram o World of Darkness, no Zoológico do Bronx, onde antes estiveram e sabia tratar-se de um covil de criaturas da Wyrm, mas lá também a sensação foi a mesma.

Peter, então, propôs que vocês tentassem procurar a casa do Lord Krajzeck, o Shadow Lord que os recebeu anteriormente. Lá chegando notaram os mesmos sinais de abandono que perceberam em todos os pontos da cidade onde estiveram. As portas e paredes encontravam-se vedadas por tábuas. Vocês forçaram sua entrada e, lá dentro, encontraram o local muito parecido com o que se lembravam, com a diferença de que não estava sendo dada a manutenção necessária. Os móveis e o piso encontravam-se cobertos por uma grossa camada de poeira e em cômodos estavam repletos de teias de aranha. Ryan, explorando a casa, notou um alçapão que parecia levar ao subsolo em um corredor. A alça que se utilizava para abri-lo parecia bem mais limpa do que se observava no restante da casa e vocês inferiam que ele havia sido usado mais recentemente. Abrindo-o viram o subsolo da casa, onde amontoava-se entulho, móveis quebrados, uma desordem que contrastava com o estado relativamente preservado da casa.

Dentro do porão, Ryan teve a nítida sensação de que algo não se encaixava bem naquilo tudo. Observando o local, notou que as sombras pareciam se mover, como se tentassem ocultar algo. Após pensar um pouco, notou que um dos pontos da sala ficava sempre oculto e foi em direção a ele. Mal deu dois passos e um ponto de mira laser apareceu em seu peito. Das sombras surgiu um homem de cabelos negros e barba branca, envelhecido e emagrecido, apontando um rifle na direção de vocês. “O que fazem aqui?”, perguntou. Peter não acreditou em seus olhos a princípio, mas reconhecera o próprio Krajzeck. Peter falou com quem Krajzeck estava se contrapondo, mas ele não acreditou, dizendo que falava de pessoas há muito mortas. Peter lembrou a Krajzeck do segredo que sua matilha e a dos Leech Curbstompers compartilhavam e Krajzeck se convenceu do que Peter lhe dizia, mas afirmou que ele e sua matilha haviam sido dados como mortos após enfrentarem o Talon da Wyrm havia muitos anos.

A partir de então chamou-os para que o acompanhassem através de um outro alçapão, que levava a uma série de túneis de esgoto e metrô, muitos metros abaixo do solo. Após caminharem por algum tempo chegaram a uma ampla galeria, ao centro da qual encontrava-se um esquálido acampamento, constituído por três cabanas com uma fogueira ao centro. De longe vocês distinguiam uma figura feminina que, ao aproximarem-se, notaram tratar-se de Ana Kliminski. Ela não mais lembrava a mulher de antes, pois agora parecia envelhecida, magra, sem a força que um dia a caracterizou. A seu lado, deitado no chão, encontrava-se um homem esquálido, de uns 70 anos, cabelos brancos, de olhos fechados e que murmurava algo incessantemente. A princípio parecia um velho decrépito, mas suas cicatrizes fizeram vocês o reconhecerem: Albrecht.

Ana pediu-lhe que se acomodassem e, oferecendo a pouca comida da qual dispunham, explicou-lhes o que acontecera. Há alguns anos atrás, as forças da Wyrm desapareceram do mundo da noite para o dia. Os Garou não encontravam mais formori, espirais negras e outras criaturas que durante milênios esforçaram-se para destruir Gaia. Ninguém sabe ao certo o que houve, mas uma corrente de Theurges acredita que a Wyrm tenha sido vítima de si mesma, de seu próprio poderio destrutivo. A Weaver, por sua vez, aproveitando o enfraquecimento de um dos membros da tríade, fortaleceu-se enormemente, enredando o pouco que restara da Wyrm em sua teia de loucura. A Wyld não tardaria a cair também. Paralelamente a isso, uma shadow curtain, semelhante a que a Baba Yaga erguera isolando a Rússia do restante do mundo, cercava Nova York. Os humanos encontravam-se acuados e frequentemente eram caçados à noite por criaturas que patrulhavam a cidade. Os Garou foram desaparecendo e, tudo que restara nos EUA era isso que viam. Não se tinha notícias dos demais. A Sept of the Green também colapsara. Ana atribuía isso à loucura que consumiu Albrecht, a mesma que antes antes afetara seu avô Jacob Morningkill.

Durante a conversa, enquanto vocês pensavam juntos formas de tentar sair deste problema, Ana lembrou-se de um fetiche que guardava havia algum tempo, a Presa do Último Gurahl, que Peter anos antes encontrara e devolvera aos Uktena. Ana acreditava que aquele fetiche pudesse guia-los ao Primeiro Caern, onde suas forças poderiam ser recompostas ao ponto de serem capazes de enfrentar o que passavam. Decidiram, então, ir para o Norte, para o Canadá, fugindo de Nova York. Durante os preparativos para partirem, tanto Ana quanto Krajzeck insistiram que Albrecht deveria ser abandonado. Seria um peso morto que atrasaria a jornada e acabaria por atrapalha-los, pois não seria capaz de suportar o clima. Peter e Ryan negaram-se a fazer isso e deixa-lo para trás, assumindo a responsabilidade por leva-lo.

Partindo de seu esconderijo, Ana, Krajzeck, Peter, Ryan e Albrecht seguiram um forte ritmo de marcha, mas sempre à noite escondiam-se onde podiam para que não fossem avistados pelas criaturas que patrulhavam a cidade. Em uma das noites de marcha vocês puderam ver as tais criaturas. Após alguns dias de caminhada, vocês chegaram a um acampamento humano, que ocupava um grande galpão industrial em um bairro afastado de Nova York, próximo aos limites da cidade. Foram recebidos com hostilidade e levados ao líder do acampamento, que mediu-lhes com o olhar, mas lhes ofereceu abrigo e comida caso se dispusessem a fazer algo pelo bem comum. Pediu-lhes que fossem até a cidade buscar remédios em uma farmácia. Vocês seriam levados e buscados, mas a responsabilidade de obter os medicamentos e insumos seria de vocês. Sem ter grande opção, aceitaram.

Comments

Guilherme Guilherme

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.