Werewolf W20

Sessão 23 10/12/2014 Guilherme (mestre)/Bruno/Eduardo

Na caverna que servia de esconderijo para Evan e seus scouts dos Wendigo, vocês puderam descansar, comer, beber e, sobretudo, aprender um pouco sobre o que se passava por ali.
Evan lhes contou que há alguns anos, após ele ter saído de Nova York para, junto de seus irmãos Wendigo, rastrear e destruir o Talon da Wyrm, Albrecht mudou radicalmente. Ele adotou uma postura mais beligerante, levando os Garou da Sept of the Green a vários ataques suicidas contra forças da Wyrm. Muitos pereceram nessas batalhas, muitas das quais aconteceram em momentos e de forma inadequada por pura falta de planejamento. A seita rachou-se. Haviam aqueles que apoiavam veementemente Albrecht, sobretudo os mais jovens, que não questionavam sua autoridade e suas deliberações. Os mais velhos percebiam que aquele que lhes falava não era o Albrecht que fora coroado rei anos atrás, mas sim uma versão enfurecida e cega dele. Falava-se que a maldição da loucura que consumiu seu avô, Jacob Morningkill, agora assolava o Rei Albrecht. Infelizmente este não parecia ser um fenômeno isolado. Ouviu-se o boato de que várias seitas estavam se desintegrando e caerns sendo abandonados. Sabia-se que os Stargazers haviam abandonado a sociedade Garou para juntarem-se aos Hengeyokai no oriente, mas agora havia relatos de que outras tribos também haviam desaparecido, entre elas os Get of Fenris, os Children of Gaia e os Silent Striders. Se isso era verdade ou não, ninguém tinha certeza, mas o fato é que ninguém encontrava representantes destas tribos havia meses.

No norte, onde Evan se encontrava, a situação era diferente, mas os tempos também eram difíceis. O Canadá fora vasculhado de fora a fora, todas as pedras reviradas, árvores escaladas, o Talon foi procurado em todos os cantos e não foi encontrado. Soube-se notícias de sua presença em Nova York quando vocês foram atacados, mas os Wendigo e os poucos Uktena que se juntaram a eles estavam longe demais para chegarem a tempo. Até mesmo viajar por pontes da lua parecia arriscado naqueles dias.

No mundo todo ouviam-se relatos de manifestações bizarras da Wyrm. Sítios antes intocados eram corrompidos, ao passo que locais extremamente corrompidos eram deixados de lado. Os ataques dos Formori e Black Spiral Dancers eram incoordenados e levavam a resultados desastrosos para todos os lados. Isso se arrastou por alguns meses, até que um dia foi como se, num passe de mágica, a Wyrm sumisse. Não se encontravam mais seus soldados, os Black Spiral Dancers não eram mais vistos em seus territórios. Aqueles entre os Garou que eram capazes de rastrear a Wyrm pelo seu forte cheiro não mais conseguiam fazê-lo.

Evan não sabia o que acontecera, mas sabia que daquele dia em diante as coisas mudaram. As forças da Wyrm não estavam em lugar algum onde pudessem ser encontradas. As cidades foram aos poucos desaparecendo, como se estivessem se esvaindo. A película desaparecera e o limite entre os mundos físico e espiritual nunca foi tão tênue. A interpretação dos místicos das tribos remanescentes era de que todos estes sinais indicavam a queda da tríade. A Wyrm não mais a compunha, havia sido finalmente enredada na teia que a Weaver tecia loucamente. E a Wyld seria a próxima. O mundo estéril, de planícies vazias, refletia a monotonia estática da Weaver. Acreditavam, ainda, que o enfraquecimento da película era um ominoso sinal de proximidade do Apocalipse, pois o tellurian estava tão fragilizado após a queda da tríade que a própria realidade estava se desfazendo.

Ao ouvir a respeito da busca de vocês, Evan animou-se com a idéia de irem em busca do primeiro caern. As lendas diziam que os Gurahl foram os primeiros shapeshifters a habitar este mundo e, como tal, possuíam uma ligação ancestral com Gaia, muito mais forte do que a que os Garou hoje possuíam. Evan não sabia dizer se este caern estaria ativo, com espíritos ainda ligados a ele, mas valia a pena tentar, pois não havia muito a se perder com a falha. Ele se colocou à disposição, para junto de seus scouts, partirem com vocês em busca do primeiro caern.

Naquela noite todos descansaram, pois no dia seguinte, com o sol mal despontando no horizonte, todos partiriam para a árdua jornada a que se propunham. Os scouts foram na frente, reconhecendo o terreno e os eventuais perigos, enquanto Evan liderava o grupo no qual vocês se encontravam. Albrecht estava em um trenó, sendo puxado por um dos scouts em forma de hispo. Em suas formas lupinas, vocês correram durante horas a fio, percorrendo uma longa distância. A paisagem parecia não mudar jamais, planícies geladas e um horizonte frio. A sensação que tinham era de que estavam rodando em círculos, mas graças ao fetiche da Presa do Último Gurahl vocês puderam seguir o rumo correto.

Quando a noite se aproximava, um dos scouts voltou até o grupo de vocês informando que havia perigo adiante, possivelmente Black Spiral Dancers. Todos se aproximaram com cautela e ao longe, no fundo de um pequeno vale, vocês puderam enxergar uma matilha de Black Spiral Dancers descansando e se refrescando em um córrego. Ryan impressionou-se com o fato de que sua arma, sempre tão sensível em detectar essas criaturas, não havia esquentado em momento algum. Aquilo era excepcional. Vocês não haviam sido percebidos e Evan desejava que isso continuasse dessa forma. Com seus dons, os Wendigo manipularam o vento e geraram a cobertura necessária para que os scouts os cercassem sem serem vistos. Notando que o tempo piorara e sabendo de que aquilo era algo sobrenatural, os Black Spiral Dancers colocaram-se em círculo, um de costas para o outro, preparados para um ataque. Uma vez que os inimigos estavam cercados, os ventos aquietaram-se e Evan desceu o vale com vocês. Ryan se esgueirou sem ser visto para a proximidade do inimigo.

Evan tentou falar com o líder deles, mas o diálogo com aquela criatura foi impossível naquele momento, ele logo partiu para cima de Evan com suas garras, mas felizmente errou o golpe. Ryan e Kevin atiraram contra ele e o acertaram e, quando caiu, vendo que seus aliados estavam sendo massacrados pelos Wendigo, dois já haviam sido mortos, o líder se rendeu, prostrando-se diante de Evan e mostrando-lhe o pescoço. Evan, preso à Litania, não pôde ataca-lo. Restavam agora quatro dos Black Spiral Dancers. Kevin exigiu-lhes que entregassem suas bane klaives e fang daggers e eles o fizeram. Ryan novamente incomodou-se com o fato de não conseguir perceber a Wyrm neles.

O líder dos Black Spiral Dancers lhes disse que havia algum tempo que a Wyrm havia lhes abandonado. Os hives ficaram desertos, seus gifts e fetiches funcionavam de forma errática e nem mesmo as outras criaturas da Wyrm estavam por ali para serem vistas. Há algum tempo não encontrava um formori. Ele perguntou a Evan o que estavam fazendo por ali e, com alguma resistência de Kevin e Ryan, Evan lhe disse a verdade. Ouvindo o que Evan disse, os Black Spiral Dancers ofereceram-se para acompanhá-los na jornada, não havia mais nada para que lutar.

Ryan e Kevin resistiram muito a abrigarem o inimigo em seu grupo, argumentaram com Evan, mas ele foi duro e inflexível em dizer que vocês precisariam de toda e qualquer ajuda que pudessem encontrar. Havia uma antiga profecia que dizia que o Apocalipse seria evitado por um Garou que desobedecesse cada um dos princípios da Litania e talvez esse era o sinal de que a hora era chegada.

Comments

Guilherme Guilherme

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.